A amizade é o sentimento que promove o vínculo emocional de forma significativa, envolvendo apreço e estima entre as pessoas. 

Ao da vida, esses vínculos são formados por várias vezes, construindo várias relações, e a amizade na terceira idade, não é diferente.

Dentro desse contexto e em diversos cenários, como o trabalho, ambientes sociais, a vizinhança, a escola, etc, sabemos que a vida se cruza, em diversos momentos. 

Até mesmo com as mídias sociais que impregnam amizades em vários graus de contato.

 

Porque os idosos têm menos amigos?

A amizade na terceira idade existe, e embora os números sejam menores que quando somos jovens, já que conforme envelhecemos o círculo de amizades também diminui, principalmente quando comparados. 

A maioria desta mudança está relaciona as perdas da sociabilidade.

Como o trabalho e a carreira profissional são facilitadores para ter amizades, a transição para essa mudança, pode acontecer e limitar o contacto da parte social de amizades. 

Problemas com a saúde também pode ser um limitador, já que dificulta sair de casa, e o contato.

Em outros casos, o falecimento de amigos também pode ser um fator que afete a rede de amizades. Outras explicações também podem explicar essa diminuição do número de amizades.

À medida que as pessoas envelhecem, a amizade na terceira idade vai ficando mais selecionada, e o privilégio são daqueles que estão mais próximos, ou que são mais importantes.

 

Qual a importância da amizade na terceira idade?

Por saber que o tempo é menor, quando somos mais velhos, a tendência é ser mais seletivo quanto aos tipos de relações e as pessoas que queremos próximos. 

Sendo assim, as atividades devem bater e corresponder às necessidades emocionais de cada um, para que não haja perda de tempo.

Amigos que não são confiáveis, e que causem algum aborrecimento, pode ser a premissa, para uma teoria que pode ser chamada de Seletividade Socioemocional. Isso significa que a amizade na terceira idade prefere preservar os círculos próximo e confidentes.

Dessa forma o investimento do tempo e da energia gasta, fica destinado a relacionamentos com pessoas mais íntimas e confiáveis, que possam dar apoio emocional e de maneira contínua.

 

A confiança

Estando na velhice, o que importa não é a quantidade de amigos, mas sim, saber com quem contar. O que pode parecer afetar não só a esperança, como também a saúde, e estar diretamente ligado ao bem-estar psíquico.

Num mundo onde a solidão pode ser um dos sintomas da depressão, a amizade na terceira idade pode ser fundamental para evitar esse tipo de risco a saúde. 

Preservar velhas amizades pode ser um investimento para envelhecer com uma melhor qualidade, de forma mais humanizada, e com algum significado.

 

Amizades novas e antigas

Tão importante quanto manter as amizades antigas, é também fazer novas amizades, e criar  relações. 

Existem diversas associações, como clubes espalhados por todo o país, que visam esse encontro com pessoas da terceira idade.

Cada pessoa pode encontrar e conhecer novas pessoas que passam a fazer parte da sua rotina. São assim que essas pessoas passam a ser amigos e fazer parte do círculo social e criar vínculos, espantando assim, a solidão.

Frequentar festas e organizações que ajudem a reforçar esse contato entre pessoas da mesma idade, assim como organizar viagens e passeios, aumenta a convivência, e é uma forma dessas pessoas aproveitarem ao máximo, o que faz muito bem à saúde.

 

Benefícios de se ter amigos

Segundo um estudo feito pela revista científica, “Personal Relationship”, em 2017, a amizade na terceira idade costuma ser mais importante para o bem-estar dos idosos, do que a própria relação familiar.

O estudo mostrou quão importante são as amizades, tanto as antigas quanto as novas amizades, e como elas fazem parte para constituir uma velhice mais saudável, animada e divertida.

Em muitos casos, os laços de família, não são mais icônicos, passar a ficar longe das relações diárias, mas as amizades continuam sendo relacionamentos muito próximos, onde podem ser compartilhados pensamentos, desejos e sentimentos com maior facilidade.

 

Ciclos familiares concluídos

O amor da família não pode ser questionado. É possível contar com eles o tempo todo, e essa importância é indiscutível, porém, o ciclo ao qual se fazia parte principal, se foi, foi concluído.

Depois da criação dos filhos, os idosos passam a fazer parte da família de forma figurativa, emocional, e não que isso tenha menos importância, mas com a presença dos amigos, alguns espaços podem ser preenchidos.

Consequência da amizade na saúde

Interagir de forma social é um fator que protege os indivíduos para ter um envelhecimento mais saudável e mais ativo. 

Com esse cuidado que os amigos prestam e cuidam, a manutenção do sentido de controle pessoal e bem-estar psíquico fica muito melhor.

Diferente dos familiares, a amizade na terceira idade pode ser escolhida, através de confiança, com afinidades em comum, afastando a solidão e mantendo a depressão bem longe.